> Depressão
     > Pânico
     > Ansiedade
     > Bipolaridade
     > Álcool e Drogas
     > Esquizofrenia
     > Bulimia e Anorexia
     > TDAH
     > T.O.C.
     > Outros
     > Psiquiatria e Sociedade
     > Filosofia e saúde mental
     > Outros
      Outros
      Dissociação
      Dúvidas
      noticia
      Planos
      
Dezembro 2017
Novembro 2017
Outubro 2017
Setembro 2017
Agosto 2017
Julho 2017
Junho 2017
Maio 2017
Abril 2017
Março 2017
Fevereiro 2017
Janeiro 2017
   
11/09/2009
Tarso e a psicose

A novela das 8, na Rede Globo, tem focado bastante o tema da saúde mental, mostrando o dia-a-dia de um hospital psiquiátrico, pessoas com doença psiquiátra, e foca em especial a esquizofrenia com Tarso, papel interpretado por Bruno Gagliasso. Muitos se perguntam se o papel está sendo interpretado com fidedignidade.

O personagem no caso de fato representa muito bem um tipo determinado de esquizofrenia, a esquizofrenia paranóide. Dos sintomas apresentados podemos ressaltar alguns; a) persecutoriedade: as poucas vezes que assisti à novela pude acompanhar alguns momentos em que Tarso achava que estava sendo perseguido, ou que algo de ruim iria lhe acontecer. A persecutoriedade, o delírio (uma idéia irreal) persecutório é uma das marcas mais características do quadro. Geralmente a pessoa com esquizofrenia pensa que alguma corporação está perseguindo-a, como a CIA, a maçonaria, ou que alienígenas estão atrás dele. Outro delírio bastante comum é o de achar que há um chip implantado no cérebro, por exemplo. Os sintomas persecutórios geram muito medo e angústia e trazem grande disfuncionalidade à pessoa.

b) Alucinações. Tarso chegou a ver bichos na parede, entre outros eventos alucinatórios. As alucinações podem aparecer na esquizofrenia e, como implicam em uma alteração maior da realidade em comparação com o delírio (presume-se que alguém que veja coisas que não existem esteja mais comprometido do que alguém que acredite em coisas falsas), denotam certa gravidade do caso. Pessoas acometidas pela psicose, ou pela esquizofrenia, em geral vêem vultos no campo visual periférico, ouvem vozes (o mais comum) que dão ordens a ela ou que comentam sobre seus atos.

c) Sintomas negativos. Acredito que esta foi uma parte fundamental do personagem Tarso, interpretada com grande propriedade. Os sintomas negativos da esquizofrenia são, ao meu ver, o que mais caracteriza os quadros englobados sob o nome "esquizofrenia". Na esquizofrenia subtipo paranóide eles aparecem um pouco menos mas ainda assim são observáveis. O isolamento social é um tipo destes sintomas negativos. Outro sintoma apresentado com bastante sutileza e perfeição é a alteração do afeto. As pessoas com esquizofrenia apresentam-se com um aplainamento afetivo; o que isso quer dizer? Quer dizer que emoções normais como tristeza, alegria, raiva, são demonstradas com menor intensidade. É como se a pessoa ficasse um pouco indiferente, o olhar parado e frio em relação ao mundo. Uma dimensão de sintomas de muito difícil captação para o público leigo mas que está sendo representada com perfeição.

Estes sintomas são característicos da esquizofrenia paranóide. Entretanto, há também outros tipos de esquizofrenia como o hebefrênico e o catatônico, por exemplo, que cursam com uma sintomatologia algo diferente. Além do mais, focando-se as alucinações e a persecutoriedade em especial, são sintomas que podem aparecer em outros casos como o transforno afetivo bipolar, a depressão, alguns casos de ansiedade, etc.

Em suma, Tarso representa com grande precisão um quadro típico de esquizofrenia paranóide, podendo entretanto os sintomas descritos aparecerem, isoladamente, em outros tipos de patologia.

Voltar ]
Psiq - Todos os direitos reservados - Dr. Alexandre Loch - Tels.: 11 3881-2009 - alexandre.loch@usp.br