> Depressão
     > Pânico
     > Ansiedade
     > Bipolaridade
     > Álcool e Drogas
     > Esquizofrenia
     > Bulimia e Anorexia
     > TDAH
     > T.O.C.
     > Outros
     > Psiquiatria e Sociedade
     > Filosofia e saúde mental
     > Outros
      Outros
      Dissociação
      Dúvidas
      noticia
      Planos
      
Dezembro 2017
Novembro 2017
Outubro 2017
Setembro 2017
Agosto 2017
Julho 2017
Junho 2017
Maio 2017
Abril 2017
Março 2017
Fevereiro 2017
Janeiro 2017
   
07/10/2008
Dissociação
Dissociação significa cisão, repartição, divisão. Os transtornos dissociativos são classificados como distúrbios da ansiedade e envolvem esta idéia, um estado de divisão do consciente da pessoa, um período de tempo onde ela vivencia coisas e não lembra do que ocorreu; tais vivências ocorrem em um estado de consciência paralela. Acredita-se que esta condição seja uma das mais freqüentes na população geral, sendo que alguns pesquisadores falam em até 10% da população geral tendo tido pelo menos um episódio de dissociação ao longo de toda a sua vida.

O principal distúrbio dissociativo é a amnésia dissociativa. Após um evento traumatizante, estressor, há um período de amnésia na pessoa, e tudo o que ela faz após o evento é temporariamente apagado da consciência. É o caso da pessoa que passa por um grande acidente, um grande desastre (automobilístico, aéreo, por exemplo), e não se lembra de nada do que aconteceu, durante o desastre, e um período de tempo após o mesmo. Acredita-se que a carga emocional do evento afaste a lembrança do mesmo da consciência.

Um segundo tipo de distúrbio, também após um evento estressor, é a fuga dissociativa. Após fatos traumatizantes, a pessoa foge de sua casa, de sua cidade, e assume uma outra vida em um local distinto. Geralmente arruma outra profissão, outra moradia, e continua uma vida outra diferente da anterior.
Quando perguntado sobre dados de sua história anterior, como profissão anterior por exemplo, não se lembra.
 
O terceiro tipo de distúrbio dissociativo é o transtorno dissociativo de despersonalização. Após o evento traumático a pessoa sente como se ela não fosse ela mesma; há uma sensação de estranhamento de si mesmo, como se não conseguisse reconhecer a si próprio. Acredita-se que essa sensação vaga de estranhamento para consigo mesmo seja extremamente comum na população geral.

O quarto tipo é talvez o mais raro e o mais interessante; trantorno dissociativo de personalidade. É visto em filmes norte-americanos como distúrbio de ‘múltiplas personalidades’. A pessoa possui mais de uma personalidade, que são em geral complexas (e completas), as quais alterna de tempos em tempos. Via de regra ao exame percebe-se a presença de 2 ou 3 personalidades, mas em um exame mais acurado ve-se que a média é a presença de 5 a 10 personalidades distintas co-existentindo em uma mesma pessoa. A pessoa pode ou não ter discernimento da presença das outras personalidades dentro dela mesma.

Outros distúrbios dissociativos envolvem a síndrome de Ganser e o transe dissociativo. O primeiro geralmente envolvendo prisioneiros, e o segundo ocorrendo em muitos contextos religiosos.

Tais distúrios são tratáveis através de medicação e principalmente com psicoterapia.
Voltar ]
Psiq - Todos os direitos reservados - Dr. Alexandre Loch - Tels.: 11 3881-2009 - alexandre.loch@usp.br